para acompanhar os novos posts vá ao (novo) Bate Estacas na Blogger aqui

Quarta-feira, 30 de Junho de 2010

Olhão está a fervilhar -2

Olhão, 30 de Junho de 2010

    Esta entrevista de favor a jeito do presidente da Câmara de Olhão mostra bem o desnorte que vai na sua cabecinha inventora, dispara em todas as direções para procurar demonstrar o desenvolvimento para Olhão que só ele vê.

    Apresenta como ex-líbris a construção de um hotel de cinco estrelas, pelos efeitos “a montante e jusante”, em que para além dos comuns a qualquer outra obra de construção civil, os de trabalho enquanto dura a obra, dos materiais e equipamentos utilizados, é a entrega a um grupo empresarial de fama suspeitosa de vários hectares de um terreno privilegiado por tuta e meia e a montante já temos pelo menos a contribuição dos cofres camarários com largos milhares de euros na contratação milionária de uma artista internacional para animação dos seus clientes.

    Num concelho com uns milhares de desempregados e outros tantos a caminho, com um índice bem superior à média nacional, fica satisfeito e arma em arco com a criação de 20 postos de trabalho e a manutenção de 90 numa unidade fabril.

    Quanto à qualidade de vida e requalificação urbana faz ameaças de deixar os munícipes com razões para ficarem assustados.

    Porque promete requalificação para a Zona Ribeirinha Poente um parque de feiras e exposições, “mantendo as salinas e lagunas” quando o que se sabe é que já começou com o aterro da zona lagunar só travada após insistência de protesto público. Na Zona Ribeirinha Nascente já deixou as instalações e terreno da BelaOlhão irem à praça pública para satisfação da gula imobiliária e emparedar a doca e o porto em cimento.

    Nem os Largos de Olhão ficam descansados, em nome da requalificação ameaça valorizá-los com “arte urbana”, como se não fossem os próprios Lagos a própria arte.

    Para a Zona histórica da cidade tem 1 300 mil euros, importância parca para as necessidades mas na totalidade a mais para quem a administra, quando é sabido que das edificações construídas no concelho qualificada como de interesse e sob proteção é a ponte de Quelfes e mesmo assim o Ministério da Cultura não consegue encontrar o respetivo processo.

    Nesta entrevista, os grandes ausentes são, o ambiente e os cidadãos.

    A entrevistadora que sugeriu temas “que ainda bem é falado”, tão ao agrado do sr. Leal, não lhe perguntou sobre os significativos passos tem sido dados no concelho em matéria de um ambiente mais sustentável, isto porque o presidente ainda está a digerir a 1ª multa de 20.000 € e aguardar uma de valor superior por a Câmara estar e devolver a atividade ilícita em depósito de lixos num local protegido.

    Aos cidadãos não está prevista qualquer consulta para se poderem pronunciar que cidade querem.

    A democracia e a transparência à moda de Francisco Leal assim obrigam.

por temas:
publicado por Raul Coelho às 16:54
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Anónimo a 1 de Julho de 2010 às 09:07
E não fla do RiaShoping que criava 1200 empregos e so lá estão a trabalhar 137


Comentar artigo

google-site-verification: google607e9867b28dd3d1.html


Raul Coelho

o meu canal de vídeo

para acompanhar os novos posts vá ao (novo) Bate Estacas na Blogger aqui

.os autores

.os últimos 10 artigos

. ...

. cidadania - activismo

. ...

. o que podemos esperar est...

. as variantes da 125 em Ol...

. Porta Sim Porta Não

. Ganhos destes e maiores e...

. distribuição da ajuda ali...

. mudei de casa

. água, o que fazemos dela

.a memória do blog

.por temas

. "200 anos"(10)

. "a semana"(3)

. "pinóquio"(27)

. (novo) bate estacas(7)

. ad hoc(30)

. ambiente(3)

. autárquicas2009(11)

. biblioteca(4)

. blog antigo(1)

. cidadania(9)

. história(4)

. museu(4)

. olhao(14)

. património(12)

. requalificação(12)

. ria formosa(3)

. transparência(17)

. urbanismo património(7)

. todas as tags





Fórum olhão ponto org

 

 

 

 

.pesquisar